Quer aumentar a performance da rede? Leia isso.

Wallace Figueiredo é gerente de negócios do Grupo Binário.

Wallace Figueiredo é gerente de negócios do Grupo Binário.

Este post é uma pequena contribuição para auxiliar sua empresa a otimizar a performance de sua rede. O intuito não é tratar de problemas, mas, principalmente, de como evita-los. Porém, se ocorrerem, a primeira dica de ouro é: detectá-los.

Parece óbvio, parece chover no molhado, mas não é. Em muitas organizações, a demora na percepção de um problema de rede acarreta o agravamento dos danos causados por ele e, infelizmente, esta não é uma situação rara.

Detectar problemas de rede começa pela previsão de gargalos. Mapeie seu negócio e identifique nele tudo o que depende da rede, partindo disso para a projeção de todos os possíveis riscos a esta rede, desde os que pareçam mais insignificantes – eles podem crescer por não serem notados, lembra?

Para realizar esta previsão, você não vai precisar de uma bola de cristal, mas de uma equipe de TI profundamente conhecedora de sua infraestrutura, aplicações e serviços suportados e utilizados em seu ambiente corporativo, além de acompanhar o tráfego constante de dados e voz. Com estas informações em mãos, será mais fácil perceber o que pode comprometer o funcionamento do negócio em caso de falha e, consequentemente, se preparar para evitar tal resultado.

Ok, você e sua TI já estão plenamente inteirados sobre a estrutura de rede, as aplicações, os serviços e tudo o que roda aí na empresa. Tudo tranquilo, certo? Errado: a consciência de que isso basta leva a uma estagnação que impede, muitas vezes, a visão das necessidades por atualização. E aí encontramos um novo problema.

Para solucioná-lo, a dica é simples: não se atenha aos atuais conceitos utilizados em sua companhia, esteja atento ao mercado, à concorrência, às tendências, ao que a TIC mostra diariamente em termos de inovação. Filtre o que pode auxiliar seu negócio a produzir mais com menos custo e calcule o resultado. Muitas vezes você concluirá que abandonar o confortável presente e substituí-lo pelo novo é muito mais rentável do que fazer sua equipe trabalhar incansavelmente na adaptação de uma plataforma antiga a soluções de última geração. O obsoleto é… Bem, obsoleto. Reconheça e vá em frente.

Outra dica é ter em mente duas palavras de ordem: capacidade e desempenho. Perceba que espremer o máximo de discos rígidos que um rack possa suportar nem sempre será a melhor solução custo X benefício para sua demanda. Mais do que isso, é preciso estar atento também à velocidade dos discos, às operações de entrada e saída por segundo que conseguem realizar.

Para melhor definir esta infraestrutura de acordo com suas demandas, defina, primeiro estas demandas. Que discos necessitam de mais alta performance? Que operações precisam desta infra mais robusta? Respondendo a perguntas simples como esta será mais fácil identificar os padrões necessários e investir de forma certeira, sem gastar demais com plataformas exageradas ou economizar em estruturas que fiquem aquém das suas necessidades.

Mais um conselho para sua infraesturura: não a resuma à performance de processamento. Sua avaliação deste ambiente tem de ir além da matemática dos computadores em uso divididos por processadores mais discos mais RAM. É importante ter em mente que a estrutura de provimento do tráfego de dados (Fiber Channel, RPM, SAS) também tem de entrar nesta conta.

Já que mencionamos novamente o tráfego, vamos aproveitar para ver também a questão do aumento contínuo do volume de dados na rede corporativa. Como lidar com esta expansão e, ao mesmo tempo, poupar em espaço e garantir performance? Uma boa pedida é começar por tirar de casa todo o resíduo armazenado nos backups de dados, deixando salvo somente o que é útil. A deduplicação é sua amiga, confie nela.

E quem é amigo se ajuda, é claro. Para fazer sua parte nesse trabalho, contrate soluções de backup que permitam resgate automático de dados em eventuais situações de perda.

Com tudo isso em mãos, ainda será necessário sempre – repito: sempre – investir na manutenção. Toda a engrenagem de rede, dados, voz, sistemas, backups, aceleradores e tudo mais precisa estar em dia, com todas as peças funcionando perfeitamente, para garantir um bom resultado.

E se ficar salgado pensar no custo de um suporte ativo e reativo constante, pense no preço de perder algum destes componentes ou de parar seu negócio por falha de algum deles. Agora ficou mais fácil a conta, não?

Resumindo, mapeie suas demandas, projete os resultados desejados de negócio e, com base nisso, defina sua TI da infraestrutura até a solução de ponta, lá na sua mesa, e na mão do seu colaborador que trabalha em BYOD. Incremente isso tudo com uma boa estratégia de backup e manutenção. Cremos que suas noites serão mais bem dormidas a partir daqui.

 

 

Quer aumentar a performance da rede? Leia isso.
Avalie este post

Posts Relacionados:

No Comments

Leave a Comment

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked