Segurança na mobilidade e seus limites

Eduardo Díaz é gerente de soluções móveis do Grupo Binário

Nesses últimos anos, o auge dos smartphones, tablets e a sua integração deles à fonte de dados e recursos corporativos vêm causando uma grande necessidade da implementação de políticas de segurança e controle das informações armazenadas nesses aparelhos.  Atualmente, existem serviços de gestão de aparelhos móveis (MDM- Mobile Device Management) que permitem manter níveis de segurança equivalentes aos do mundo “tradicional”, como comunicações via VPN, armazenamentos de dados criptografados, bloqueio de aparelhos, entre outros.

 Os novos paradigmas da mobilidade estão mudando a forma de trabalhar e se relacionar com a tecnologia, o que vai exigir uma alteração dessa visão tradicional de segurança, mais restritiva, por outra que possibilite diferentes contextos e participação ativa dos usuários.

No âmbito de rastreamento, a capacidade dos smartphones e tablets permite conhecer locais, horários e aplicativos utilizados pelo usuário. Essas informações podem ser utilizadas para aperfeiçoar e auditar os processos de negócio na empresa. Para o consumidor, é possível fazer um marketing dirigido, entregar conteúdos customizados e/ou enriquecer a experiência nas redes sociais.

Em termos de comunicação, pode-se cadastrar chamadas, SMS, email, destinatários, horários e tudo que seja enviado ou recebido pelo aparelho. Isso pode ser de grande utilidade na hora de controlar, por exemplo, os custos dos contratos de voz e dados com as operadoras, podendo se tornar uma prática mais econômica. Alguns aparelhos permitem capturar a imagem da tela, obter listagem e conteúdo dos arquivos de fotos, som, entre outros, sendo útil na hora de entregar o suporte remoto.

É válido lembrar que o consumidor pode nem estar ciente da existência desses registros, o que pode causar danos aos seus direitos de privacidade. A indústria da mobilidade deve desenvolver as novas tecnologias, avaliar as repercussões éticas e legais que a utilização dessas informações pode trazer, e considerá-las como parte fundamental do desenho das soluções, definindo um limite claro entre a utilização dessas informações e o acordo do usuário para entregá-las.

A segurança em mobilidade deverá enfrentar esses novos desafios com soluções que incluam uma visão complementaria da segurança e a privacidade de cada um dos usuários. Tais medidas deverão provocar dentro da empresa o compromisso pela total organização e proteção acerca de suas informações e ativos, e no campo do mercado consumidor, a confiança necessária para que os clientes adquiram os bens e serviços fornecidos num mundo baseado em mobilidade.

Algumas ofertas de soluções de MDM incluem funções que separam o corporativo do pessoal no aparelho, dando maior controle de informações ao usuário acerca do que ele pode ou não fazer, dependendo do contexto. Algumas operadoras e fabricantes também fornecem serviços de MDM e segurança para uso pessoal e familiar, como um diferencial no momento de se contratar um plano móvel.

1 Comment

HAMILCAR MARQUES

about 8 anos ago

Hoje em dia , a falta de segurança em mobilidade assusta e constrange os usuários dos inúmeros aparelhos existentes no mercado! O cenário que vemos às vezes compara-se a esses filmes de ficção quando os sistemas eram invadidos pelos piratas digitais oportunistas. Será que as políticas de combate a esses ataques digitais funcionam eficazmente nas organizações, elas seriam do conhecimento dos funcionários??? Tudo hoje em dia representa um risco, e isso quero crer que deve representar um fator negativo ao mercado consumidor desses bens! HAMILCAR MARQUES - 16/12/2011.

Responder

Leave a Comment

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked