Dicas importantes de segurança para IoT

ducas de segurança para IoT

Com a explosão global da Internet das Coisas (IoT), é importante pensar na segurança dessa tecnologia. Isso quer dizer não só proteger os próprios dispositivos como a espinha dorsal que os mantém conectados: sua rede.

A menos que sua rede e roteadores estejam seguros, seus dispositivos podem estar vulneráveis ​​a hackers. Um roteador comprometido pode facilitar ataques criminosos; e a partir daí, eles podem se expandir para todos os dispositivos da rede.

As notícias relatam constantemente incidentes maliciosos de invasão da Internet das Coisas. Recentemente, um estudo mostrou que metade das empresas não consegue detectar violações em dispositivos IoT.

Mas o que essas organizações podem fazer de diferente? Para te mostrar, separamos abaixo dicas importantes de segurança para IoT! Acompanhe!

A importância da segurança para IoT

A Internet das Coisas é uma rede de dispositivos e objetos interconectados através de várias tecnologias de rede. Todas essas coisas conectadas podem se comunicar entre si e também com o ambiente externo.

Combinando hardware, software incorporado, serviços de comunicação e serviços de TI, a IoT facilita a interconexão dos dispositivos do usuário final e os dispositivos de comunicação subjacentes.

A Gartner prevê que em 2021 os gastos em soluções de segurança para IoT aumentem para US $ 3,1 bilhões em todo o mundo.

Dispositivos de rede genéricos, como roteadores e uma variedade de gadgets de IoT expostos à conectividade com a Internet, geralmente são deixados sem supervisão, manutenção e suporte adequados.

Esses dispositivos autônomos estão todos expostos a um amplo escopo de ameaças cibernéticas e são, obviamente, muito atraentes para os cibercriminosos. Eles são usados ​​como pontos de entrada iniciais para conquistar presença em pequenas e médias empresas (PME) ou até grandes redes corporativas.

O exemplo mais recente disso é a tentativa de invasão contra o banco russo PIR. Um grupo de hackers chamado MoneyTaker conseguiu roubar cerca de US $ 1.000.000. Esse é um indicador claro de que mesmo grandes empresas que gastam milhões em segurança a cada ano não têm controle e recursos suficientes para gerenciar esses pontos de entrada vulneráveis ​​em suas redes.

Assim que os hackers mal-intencionados se estabelecem na rede, eles podem se mover lateralmente sem usar nenhum tipo de software malicioso ou malware avançado. Esses cibercriminosos sempre confiarão em ferramentas pré-existentes e scripts não maliciosos para obter o máximo de informações possível sobre o ambiente e alcançar seu objetivo.

Na maioria dos casos, um desses objetivos é roubar dinheiro. Em outros casos, o objetivo é extrair dados ou até danificar uma marca, criptografando toda a propriedade intelectual e dados críticos para os negócios. Em tais cenários, todas as soluções caras de endpoint e agentes antivírus serão inúteis na detecção de vários padrões de ataque.

Protegendo a Internet das Coisas da empresa

Tudo o que estiver conectado à rede é vulnerável. Sem tomar as medidas de segurança para IoT adequadas, todos os dispositivos conectados correm o risco de serem invadidos. Precisamos proteger tudo, de roteador a dispositivos e rede.

Vamos do início. Equipamentos de rede genéricos, como roteadores e dispositivos de IoT, são o elo mais fraco. Isso significa que eles geralmente não têm um programa de atualização contínua para firmware e software, baixo suporte ao tempo de vida e poder computacional insuficiente para hospedar um antivírus ou qualquer outro agente de segurança.

Esses dispositivos são quase sempre deixados em paz, sem a devida supervisão. Podem ser produtos eletrônicos de consumo em residências, pequenas e médias empresas (PME) ou até grandes corporações. Qualquer que seja o tamanho do ambiente, é crucial acompanhar o cenário de ameaças em evolução.

Para fazer isso, as empresas precisam se afastar das abordagens tradicionais de segurança para IoT e avançar para as soluções de segurança da próxima geração (NextGen), especialmente os controles orientados pela Inteligência Artificial.

Com a ajuda da Inteligência Artificial (AI), é possível mapear rapidamente uma rede identificando os dispositivos que podem ter sido deixados sozinhos e sem vigilância em algum lugar nos limites da rede.

A IA pode detectar anomalias em tempo real. Ela pode identificar padrões incomuns de tráfego de rede, rastrear e sinalizar proativamente dispositivos desatualizados, que podem ser a porta vulnerável na rede, atraindo um ator e uma ação maliciosa.

Principais dicas de segurança para IoT

Hoje, com tantos dispositivos IoT conectados a uma rede, a segurança da rede se torna fundamental.  Existem algumas coisas que podem ajudar a equipe de segurança a proteger melhor as redes corporativas. Para construir uma forte cultura de segurança para IoT, é fundamental contar com uma base sólida.

Veja abaixo as cinco melhores práticas a seguir para manter a rede e a IoT seguras:

  • Defina os limites exatos de uma rede corporativa interconectada. Isso inclui todas as conexões sem fio e remotas. Deve abranger filiais e pontos de acesso expostos em áreas remotas, bem como qualquer computação em nuvem e buckets S3 potencialmente acessíveis externamente. A chave é que todo Centro de Operações de Rede (NOC) e Centro de Operações de Segurança (SOC) entendam quais são os limites da rede corporativa dentro dos quais todos os negócios operam.
  • Habilite o gerenciamento de ativos preciso e em tempo real. As equipes precisam conhecer todos os dispositivos conectados a uma rede corporativa. Isso precisa ser um exercício e tarefa contínuos para todas as equipes do SOC e NOC. O caso do banco PIR russo funciona como uma ilustração perfeita do que pode dar errado. Dispositivos instalados e esquecidos, como roteadores, podem funcionar como pontos de entrada fáceis e atraentes para hackers.
  • Garanta o gerenciamento de configuração e atualização de software de todos os dispositivos. Tem que haver um processo claro. As equipes de tecnologia precisam saber a todo momento a configuração exata dos dispositivos. Dessa forma, elas podem introduzir uma estratégia de gerenciamento de patches simplificada e automatizada, e proteção para componentes de software licenciados herdados.
  • Introduza o programa de Gerenciamento de Identidade e Acesso. As empresas devem saber quem está acessando sua infraestrutura e quando. Também é imperativo conhecer os privilégios específicos que os usuários / funcionários têm para operar nesses dispositivos.
  • Implemente soluções de análise de comportamento do usuário. Isso permite que as equipes de SOC e segurança saibam o que os funcionários estão fazendo quando acessam os recursos da empresa. Definir comportamentos normais e potencialmente suspeitos é crucial. Assim que os hackers entram na rede, eles tentam se comportar como usuários comuns, para que as equipes de segurança não suspeitem. Soluções que criam padrões precisos de comportamento dos funcionários são úteis para detectar pessoas de fora em uma rede corporativa.

A Internet das Coisas permite que você melhore sua empresa e simplifique seus processos. Ao configurar todos os seus recursos favoritos, dedique tempo para aumentar a segurança de seus dispositivos também. Ao tomar precauções com antecedência, você pode ajudar a evitar ataques maliciosos quando realmente importa.

Gostou de aprender dicas importantes de segurança para IoT? Assine nossa newsletter e veja muito mais dicas de como manter seu ambiente de rede seguro!

No Comments

Leave a Comment

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked