Criptomoedas: o que são e como funcionam?

criptomoedas

Em janeiro de 2019, o Bitcoin, a pioneira das criptomoedas, completou dez anos no mercado. De lá pra cá, muita coisa aconteceu envolvendo a moeda digital mas uma opinião ainda é consenso entre os especialistas: ainda há muito potencial para crescimento.

A expectativa é de que, em um futuro próximo, seja difícil encontrar um grande banco, uma grande firma de contabilidade, uma empresa de software ou um governo que não tenha usado criptomoedas ou que não tenha iniciado um projeto usando o blockchain, a tecnologia por trás delas.

Para que você não se sinta perdido sobre o assunto, apresentamos neste artigo tudo o que você precisa saber sobre as criptomoedas.

Afinal, o que são criptomoedas?

A criptomoeda é uma moeda digital descentralizada e criptografada, transferida entre os pares e confirmada em um livro-razão público por meio de um processo conhecido como mineração.

Criptomoedas também são conhecidas como moedas digitais porque permitem, ainda que em pequena escala, pagar por suas compras e serviços, mas não existem fisicamente como um dinheiro comum. 

Ao contrário das moedas convencionais, as criptomoedas estão livres de regulamentação e manipulação governamental. Elas são descentralizadas e monitoradas por meio de protocolos de Internet P2P (peer-to-peer).

Isso significa que podem ser trocadas de pessoas por pessoas sem intermediação de um banco ou governo. Então, como elas são criadas e quem atesta o valor delas? Vamos explicar um pouco sobre como acontece a mineração.

Como acontece a mineração das criptomoedas?

Mineração é o processo de confirmar transações de criptomoedas e adicioná-las a um livro-razão público. Para adicionar uma transação ao livro, o “minerador” deve resolver um problema computacional cada vez mais complexo (como um quebra-cabeça matemático).

A mineração é de código aberto para que qualquer pessoa possa confirmar a transação. O primeiro minerador a resolver o quebra-cabeça adiciona um “bloco” de transações ao livro.

A maneira como as transações, os blocos e o livro-razão trabalham juntos garante que nenhum indivíduo possa facilmente adicionar ou alterar um bloco à vontade. Depois que um bloco é adicionado ao livro-razão, todas as transações correlatas são permanentes e adicionam uma pequena taxa de transação à carteira do minerador (com as moedas recém-criadas).

Quais as características das criptomoedas?

Embora possa haver exceções à regra, existem alguns fatores (além do básico que já falamos) que tornam a criptomoeda tão diferente dos sistemas financeiros do passado. São eles:

  • Escala adaptável: significa que as criptomoedas são construídas com medidas para garantir que elas funcionem bem em escalas grandes e pequenas e assegurar o dimensionamento adaptativo, incluindo a limitação do suprimento ao longo do tempo (para criar escassez) e a redução da recompensa pela mineração, à medida que mais moedas totais são extraídas.
  • Criptografia: a criptomoeda usa um sistema de criptografia para controlar a criação de moedas e verificar transações — daí o nome “cripto”.
  • Descentralização: a criação e as transações de criptomoedas são de código aberto, controladas por código e dependem de redes P2P. Não existe uma entidade única que possa afetar a moeda.
  • Digital: a criptomoeda é toda digital. Ela é armazenada em carteiras digitais e transferida digitalmente para as carteiras digitais de outras pessoas. Nenhum objeto físico existe.
  • Código aberto: criptomoedas são tipicamente de código aberto. Isso significa que os desenvolvedores podem criar APIs sem pagar uma taxa e qualquer pessoa pode usar ou ingressar na rede.
  • Pseudônimo: os proprietários de criptomoeda mantêm suas moedas digitais em uma carteira digital criptografada. A identificação de um titular de moeda é armazenada em um endereço criptografado sobre o qual ele tem controle. Ele não está anexado à identidade de uma pessoa. A conexão entre você e suas moedas é pseudônima, em vez de anônima, pois os livros estão abertos ao público.
  • Valor: para que algo seja uma moeda efetiva, ela precisa ter valor. O dólar dos EUA, por exemplo, representa ouro real. O ouro era escasso e exigia trabalho para minerar e refinar, de modo que a escassez e o trabalho davam o valor do ouro. Este, por sua vez, deu valor ao dólar americano.  A criptomoeda funciona de forma semelhante ao ouro em relação ao valor. O trabalho por trás da mineração das moedas lhes dá valor, enquanto a escassez de moedas e a demanda por elas faz com que seu valor flutue.

Quais são as principais criptomoedas?

Desde que o Bitcoin foi criado, dezenas de criptomoedas foram lançadas. A quantidade hoje disponível é superior a 1700 e continua a crescer. Você pode criar uma nova criptomoeda a qualquer momento. Algumas das mais populares e mais valiosas do momento incluem:

  • Bitcoin: a criptomoeda com a qual tudo começou. Atualmente, é a moeda digital mais popular no mercado, embora seu status legal possa variar dependendo do país.
  • Ethereum: uma moeda programável que usa as bases que Turing fundou. Ela permite que os desenvolvedores criem diferentes aplicativos distribuídos e tecnologias que não funcionam com o Bitcoin.
  • Bitcoin Cash: fork (atualização) do Bitcoin, sendo mais seguro e mais rápido de minerar. Seu valor aumentou e agora está entre as cinco principais em termos de capitalização de mercado.
  • Bitcoin Gold: projeto baseado em Bitcoin, mas usando outros tipos de algoritmos para serem criptografados. Para o resto, segue as diretrizes do projeto Bitcoin básico.
  • Litecoin: uma criptomoeda que foi criada com a intenção de ser a ‘prata digital’ comparada ao ‘ouro digital’ do Bitcoin. Também é um fork Bitcoin, mas ao contrário do seu antecessor, pode gerar blocos quatro vezes mais rápido e tem um limite de moeda quatro vezes maior.
  • Ripple: diferentemente da maioria das moedas criptomoedas, ele não usa o Blockchain para chegar a um consenso em toda a rede para transações. Em vez disso, um processo iterativo de consenso é implementado, o que o torna mais rápido que o Bitcoin, mas também o torna vulnerável a ataques de hackers.

O conceito de criptomoedas e como elas funcionam pode ser difícil de entender, mesmo para especialistas de TI. Contudo, em um mundo em que “digital” é cada dia mais a palavra de ordem, entender essas novas moedas é essencial para se preparar para o futuro.

Gostou do nosso artigo? Compartilhe nas suas redes sociais e mostre aos seus amigos também como as criptomoedas funcionam!

Criptomoedas: o que são e como funcionam?
Avalie este post

Posts Relacionados:

No Comments

Leave a Comment

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked