Thales Cyrino - Diretor de Desenvolvimento de Novos Serviços
Thales Cyrino é Diretor de Desenvolvimento de Novos Serviços

Construir e manter um parque de infraestrutura de TI robusto, seguro, de alta performance, pode ser bastante custoso – em termos de dinheiro e trabalho. Cada vez mais vital para organizações de todos os setores, pois é a base do funcionamento de máquinas e sistemas, a infra de TI requer atenção máxima, o que nem sempre é possível quando cuidar deste ecossistema não é o core business da empresa.

É neste palco que entra em cena a Infraestrutura de TI como Serviço (IaaS, da sigla em inglês para Infraestructure as a Service). O modelo contempla a contratação de empresas especializadas para gerenciar a infraestrutura tecnológica, garantindo a correta operação dos ativos, distribuição inteligente de recursos, detecção de problemas em tempo hábil e manutenção assertiva sempre que necessário.

É da infraestrutura que partirá o cerne do bom funcionamento das aplicações de gestão, financeiro, contábil e fiscal, RH, Marketing, vendas etc. Contar com um parque bem montado e bem gerido é assegurar continuidade aos negócios, o que corresponde a garantir produtividade.

O modelo IaaS permite à companhia cliente contar com hardware, servidores, computadores, componentes de rede, armazenamento de dados na nuvem e sistemas operacionais, com garantia de gestão do parque, sem precisar comprar item por item. A lógica lembra mais um aluguel: o cliente paga mensalmente e usufrui das soluções e do serviço de gerenciamento das mesmas, ficando com o benefício dos ganhos de performance, produtividade e segurança, e eliminando a parte chata e cara da aquisição e administração dos ativos infraestruturais.

Além disso, a opção permite fazer um investimento adequado à exata necessidade do cliente: nem mais, nem menos, pois no IaaS a empresa paga pelo que usa. Caso precise expandir a infraestrutura, amplia o contrato com o fornecedor, ao invés de ter de investir em novos equipamentos ou sistemas. Se voltar a reduzir o uso, renegocia o valor pago mensalmente, evitando gastos além do necessário. É uma elasticidade que o formato tradicional de infraestrutura “em casa” não permite.

Delegar a gestão da infraestrutura de TI para um fornecedor especializado permite às empresas concentrarem-se em seu core business, canalizando atenção e investimentos para áreas e processos que realmente digam respeito a seu negócio. Terceirização de infraestrutura é sinônimo de flexibilidade, elasticidade, performance, segurança e profissionalização da gestão. Sem falar na boa e velha tranquilidade de deixar o serviço para quem é expert em fazê-lo.

A percepção dos benefícios do modelo IaaS se traduz em números. Segundo pesquisa do IDC, o mercado brasileiro de Tecnologia da Informação é o maior da América Latina e movimentou cerca de US$ 165,6 bilhões em 2015, quando a prioridade de investimento das companhias foi infraestrutura e data center.

É inegável que a terceirização da gestão de infraestrutura pode melhorar a qualidade da administração empresarial, dando apoio fundamental a processos operacionais e assegurando controle e segurança para facilitar tomadas de decisões. Profissionalizar o negócio é primordial, e o outsourcing de infraestrutura é um dos melhores caminhos para isso. Vale a pena pensar a respeito.

Fontes:
http://goo.gl/3ccrsl
http://goo.gl/xwqdTt
http://goo.gl/O7ExTS
http://goo.gl/79gJa4